domingo, 18 de dezembro de 2005

eu e as canções

Minha capacidade de esquecer música é quase folclórica. Mas não faço distinção. Esqueço a de famosos e desconhecido. Esqueço letra de outros e as minhas. Sem problema.
Estava eu em almoço de natal, cheio de amigos, violão rodando e cai em minha mão. Eu só cantando as minhas músicas. Esquecia uma coisinha aqui, outra ali, mas mantive a classe e fui enganando o povo. Aí pediram uma música que eu fiz com Silo, nossa última canção, que não entrou no CD mas ficou registrado na gravação do DVD. Eu cantei muito pouco esta música, uma letra difícil de gravar ( as letras de Silo são assim, a harmonia eu lembro porque fui eu quem fez a música e nem eu nem Silo sabemos cantar a tal da música.
Qual foi a minha surpresa quando eu comecei a tocar e dizendo que não sabia cantar esta aqui e meus amigos começaram a cantar a letra todinha, cantando tão lindo, fiquei tão surpresa, tão emocionada, tão impressionada com a memória deles que confesso que chorei.
Ver o povo cantando as suas canções é uma coisa de deixar qualquer compositor muito, muito abalado. E eu fiquei. Fiquei besta, fiquei emocionada, fiquei pensando que a vida é uma merda mas esses momentos são do cacete!!!!!!
Valeu a semana!
Amigos queridos, um almoço delicioso, saudade sendo assassinada e as canções dos amigos compositorers sendo tocadas e cantadas por todos nós. Não é lindo????
Valeu a semana mesmo!!!!

6 comentários:

Dora W disse...

Putz, deve ser emocionante mesmo ter as canções na ponta da língua do povo, dos amigos, né?

Um dia, queria q alguma frase minha ficasse registrada cabeça dos outros.. :D

Beijo.

Pedro disse...

Nossa, imagino o quanto isso deve ser divertido.

(Uma pontinha de inveja, confesso.)

A minha memória musical é uma das poucas coisas das quais eu me gabo...

Nunca esqueci nada que eu toquei, até hoje. Esqueço o seu nome, mas não esqueço a música que a gente ensaiou, mas ninguém saiu do 4° compasso e o regente recolheu as partituras.

Me passa seu mail que eu te mando uma gravação minha tocando. Desenterrei uma do fundo do poço.

Gika disse...

Bom dia Tati!
Realmente nada no mundo paga esses momentos. Suas canções são tão lindas que qdo comprei seu CD lá na gravação do DVD, ele quase furou de tanto que ouvi...rs.Tenha certeza que esse BEM que te fez esse momento, é o troco do BEM que vc e suas canções fazem à todos.
Uma semama iluminda pra vc e pra todos nós. To na contagem regressiva já, pra que este ano termine logo. Preciso descer tbm. To procurando a cordinha desde fevereiro...=/

Denilson disse...

Eu tenho um enorme problema é de lembrar as cifras das músicas! Tenho que treinar mais...

Lucas Ferron disse...

Há! Deve ser por isso que você escuta as mesmas músicas quinhentas milhões de vezes, para o martírio de nós, amados filhos... Oo

Beijobeijo!

Bruno Ribeiro disse...

Tati, eu só soube o que é isso uma vez na vida. Um dia, dentro do ônibus, vi uma menina assoviando um samba meu, aquele "Meu Coração Vacilou". Ela nem sabia que eu era o autor, apenas assoviava, o olhar perdido na janela. Foi uma sensação, assim, estranha. E maravilhosa.