quinta-feira, 1 de dezembro de 2005

Chico César

Ontem fui assistir um show do Chico César na Fnac.
Tive uma aula de consideração e delicadeza com o público.
Ele é minúsculo, meu filho de 10 anos tem a mesma altura, mas ele é enorme como artista.
Fez um show simples, apresentou duas ou três canções de seu cd novo ( que nem gostei tanto, levemente brega romântico), algumas músicas mais tranquilas já gravadas em outros trabalhos e leu algumas poesias do seu livro. Este aqui eu gostei muito! Excelente poeta! Me pareceu que está em um momento maduro, super apaixonado, o amor é tema constante e se permitindo nãoser tão de vanguarda, assumindo aquele ar meio clichê que todos os românticos assumem. Musicalmente a novidade dele não me impressionou, mas o material literário é muito legal, muito bom mesmo!
E no final, ele ficou quase 1 hora e meia atendendo as pessoas, autografando livros e cd's, sempre perguntando como estava, abraçando, um comentário delicado e especial. Pareceia que estava dando consulta espiritual! Impressionante!
E eu dei meu cd novo para ele ouvir, dei em mãos, fiz contato com a produtora, esse meio de campo tão difícil de se conseguir.
Chico César me deu uma grande liçãoque não esquecerei. Tratar o público com humildade e simpatia, consideraçao verdadeira e delicadeza.
Adorei!!!

3 comentários:

Bruno Ribeiro disse...

Gozado, eu já gostei muito do CD novo. Achei que está num patamar acima de tudo o que ele fez antes. Mais maduro, inteligente, centrado no arranjo de cordas e com aquele tom intimista que é sempre preferível à ditadura da alegria axezenta do "vamos sacudir o esqueleto". Também o considero bom poeta, já tive a chance de vê-lo recitando poemas de sua lavra, na CPFL. Acho interessante essa relação de poesia e letra de música, de compositores que também se enveredam pela poesia. A poesia escrita ajuda na formulação da poesia cantada, os melhores letristas da MPB são leitores de poesia. Teu comentário sobre a simplicidade do artista é pertinente: para mim estes são sempre os maiores. Odeio fleuma e gente blasé ou arrogante. Pra mim artista é um trabalhador como qualquer outro e assim deve ser considerado. Beijos!

Tatiana disse...

Eu ouvi duas músicas somente deste último cd. E ao vivo, voz e violão.Não posso dizer se gostei do trabalho ou não, mas que ele soube fazer o povo ouví-lo tranquilamente, ahh..isso ele soube!!!

Neumar disse...

Talvez ele estivesse mesmo dando consultas espirituais, em algum sentido!