quinta-feira, 20 de outubro de 2005

AUSÊNCIA - 3° Concurso Criativo

Quero que em mim brote, do fundo escuro de minha alma velha, a ausência.
A não existência.
A falta completa daquilo que me estagna, que me obstrui, que me empregna de ranço antigo e morto,
Quero a ausência do teu nome em minha boca,
Quero a ausência do medo e da dúvida,
Quero a ausência daquela digital em minha carne,
Quero a ausência da dor e da fome,
Quero que suma de mim, como fumaça ao vento, o ódio que me balança o corpo e me turva os olhos,
Quero que ser barco abandonado,
Quero ser corsário insano pelo canto da sereia, sem passado e sem presente, mas os olhos no farol,
Quero ser terra crua,
Quero meu peito cheio pingando docemente o leite azedo,
Quero que escorra por minhas pernas todos os nãos que gerei,
Quero o vazio,
Por que só vazia, solidão de tudo,
Só quando eu for pote limpo, suando futuros, posso receber a água santa
Então, ausência, arrombe os portões de minha'lma e liberte meus dragões que eles estão ansiosos por bater asas e fazer barulho...

6 comentários:

tHomaz disse...

Eu voto pra que as compositoras sejam cafés-com-leite nesses concurso hehehe :P

Pô, faltou só dá o tom, cifrar e dá o ritmo pra eu tocar essa linda música ai.

Perfeito.

Renata disse...

Hahaha.. tô com vc Tom!

Mulher, vc escreve forte hein! Affe..

ariadne disse...

Apoiado. Café com leite :-)Deu tá pra ouvir vc cantar...

Blue Woman disse...

olá! primeira visita aqui. gostei!

Marina disse...

minha cara,
adorei o texto acima, parece-se comigo, me identifiquei total com esta ausência libertadora.

quanto ao texto de baixo, sempre te vi assim mesmo, muito bruxa, muito mágica. eu sou muito cética e chata para qualquer coisa que saia do aquiagora, por isso gosto da sua influência, do seu jeito de criar e recriar a vida...você sempre ensina...

me escreve, faz tem que vc não me escreve...beijão (amanhã estou aí!)...

Rafael Romero disse...

Porra, Tati. Me pegou, agora...