quarta-feira, 6 de abril de 2011

Música para todas as situações

Nessa minha batalha diária e arruma, limpa, varre e lustras, descobri que para cada  atividade existe um estilo de música que me ajuda. E eu preciso de ajuda porque tudo aquilo que exija água ou movimentos amplos eu vou toda feliz, mas me ponha pra tirar poeira, passar roupa ou, o pior de todos, arrumar quarto que eu simplesmente murcho como flor antiga e realmente preciso de todo o incentivo, toda a ajuda, todos os santos.
Descobri para cada atividade que eu preciso fazer tem um cantor ou cantora que me ajuda.
Divido com vocês minhas experiências musicias na matéria.

Áreas externas ( lavar quintal, varanda, usar a mangueira pra lavar portas, janelas)
Elza Soares, especialmente os cd mais antigos que tem uns bons sambas de gafieira. Me anima que é uma beleza. Mas eu adoro o " Do cóccis até o pescoço". Canto tão alto que assusto a vizinhança.

Lavar louça - Eu acho Rosa Passos ótima. Mantenho a delicadeza dos movimentos e não quebro nada e ainda desenvolvo um perfeccionismo muito do bonitinho. Me sinto elegantérrima lavando louça ao som da Rosa. Não se pode perder a majestade!

Varrer a casa e passar pano ( adoro passar pano!) - Aline Calixto e Roberta Sá,  especificamente no  cd " Quando a canção é reza". É ótimo porque além de limpar tudo, dá pra fazer umas macumbinhas espontâneas, varrendo pra longe todas as zicas e ainda apreciando um super som brasuca macumbístico sambista chique. Minha alma fica toda saliente.

Lavar roupa-  Não to falando de socar na máquina. Tô falando de mexer na água, esfregar, quarar, aí sim, botar na máquina e, finalmente, estender. Indico Maria Bethania no álbum " Dentro do Mar tem Rio". Perfeito. Dá também pra fazer umas mandinguinhas boa, lavando tudo, quarando a vida, preparando pro sol que vai secar e trazer aquele cheiro bom.


Fazer comidinha gostosa com um copo de vinho tinto na mão: Nora Jones! Se estive cozinhando para algum mancebo, também é indicado para um certo clima chique de intimidade e sedução discreta.

Fazer comidinha gostosa com uma cerveja gelada na mão - Songbook do João Bosco ou do Djavan. Não é uma coisa descabelada nem tão pra trás. Quando a música anima a gente mexe na panela com maior vigor. Quando acalma, cafungamos o ar com gosto,  perfume da alquimia da cozinha, os temperos, escostamos na pia e damos aquele gole bom na cerva bem gelada. Bom. Muito bom. Funciona tanto pra picar temperos como para arrumar a mesa pra a hora da refeição.

Lavar banheiro - Quero deixar claro aqui que eu adoro lavar banheiro. Lavo dez banheiro em vez de passar uma pilha de roupa. Realmente gosto de brincar com água, os pés no chão, aquele cheiro de sabão e água sanitária, aquela mistura de trabaklho e de farra, deslizando pelo chão ensaboado. TecnoMacumba da Rita Ribeiro. Perfeito.

Tirando pó- Batatinha. Sei lá porquê.

Fazer crochê ( sim, eu faço crochê) - Edu Lobo e Guinga. Dá pra dar aquela paradinha entre um ponto e outro e se perder nas sutilezas que só com o corpo em repouso da´pra se perceber.

Lavar carro :Clara Nunes.  Com direito a sambadinha e coro em plenos pulmões. Por dentro eu preciso de algo mais calmo, alguma coisa de minha amiga Tais Reganellli. Brilha tudo.

Mexer nas plantas - Luhli e Beth Albano- Cd Todo Céu pra Voar. esse som tem uma coisa de terra que me inspira.

Escrever - Madeleine Peiroux. Me sinto a própria Simone de Beauvoir.

Caminhando com as cachorras pelas ruas de Barão - Variadas animadinhas da MPB. Inclui aí Zeca Baleiro, lenine, Rita Ribeiro, Chico Buarque, Caetano, Gil, a lista é grande.

Fazendo as unhas: Se for as das mãos, Vital Farias. As dos pés, Elomar.

Depilando virilha com maquininha elétrica - Jackson do Pandeiro. Não sei explicar, só sei que funciona comigo.

Passar roupa - Não acertei ainda. Alguma sugestão que anime pra essa tarefa inglória?

2 comentários:

Luciana Vannucchi de Farias disse...

Acho que ainda não inventaram a trilha certa para passar roupa, Ô COISA CHATA DEMAIS! Confesso que só passo quando não tem jeito mesmo...

Nunca fiz as unhas ouvindo Vital Farias e Elomar, da próxima vez vou experimentar, rsrsrsrs...

Agora... lá pelos meus 17 anos, eu estava em minha fase de rock progressivo e peguei meu primeiro trabalho, que era pra revista da Moranguinho. Pra sair o trabalho, eu colocava Pink Floyd. Vai saber...

Beijocas!!!

Anônimo disse...

Faltou incluir "O Rei". Afinal, doméstica que se preza curte Robertão!