quarta-feira, 15 de julho de 2009

Santa Teresa

A turma. Lori e Juliana
Copacabana no fim da tarde...frio...bem frio...
Eu e o bonde...


Morro da Conceição. Plena segunda feira e o samba na Pedra do Sal comendo solto. Cantaram muitas músicas do Chico e fizxeram um minuto de silêncio. Pensei: fudeu! Chico Buarque morreu. Meus olhos molharam quando ouvi o povão cantando "Trocando em miúdos".
Eu dando canja com o Grupo Sambalanço na praça de Santa Teresa. Todo domingo um grupo toca lá. Puxa uma extensão da casa de alguém, liga a aparelhagem e faz música. As pessoas dançam e cantam junto. Assim, no meio da praça pra quem quiser aproveitar. Eu aproveitei.
Confraternizando com os nativos.
O bonde de Santa Tereza. Poesia pura.
Urca e cerveja. Por do sol lindo de morrer.





Última farra. Pegamos o ensaio geral da orquestra e do corpo de baile comemorando os cem anos do Teatro Municipal. Uma coisa de louco. Pirei. Ana Botafogo lá, gente!! Pirei mesmo.
Saímos do morro da Conceição e caimos na música erudita. Coisas do Rio de Janeiro.


Foram três dias e quatro rodas de samba.
Fomos recebidas pelo meu melhor ex marido. O marido número três. Ele abriu a casa dele para a gente e ainda para mais duas amigas dele que vinham de Uberlândia. Foi um guia excepcional. Atencioso, sambista e bem bebum. Ou seja, exatamente o que a gente precisava!
Logo de cara, assim que chegamos em Santa Teresa, já caimos em uma roda de samba super mocosada mas maravilhosa. Pegamos as três ultimas músicas e trememos de frio! No alto do morro o vento frio castigava.
Fiquei muito emocionada com os sambas todos que vi. Cheguei a chorar...besta, né? Mas é que me lembrou meu pai, as rodas de samba da minha infância, me bateu direto na memória afetiva.
Estar também na casa de meu querido ex também me emocionou. Eu, cheia de casamentos e descasamentos, ter um ex que é um amor de pessoa, a gente ri como antes, uma delícia, isso me deixou também tocada porque nem tudo que acaba, acaba mesmo. Algumas vezes se transforma em outra coisa tasmbém muito boa.
Marcelão, muito obrigada!
Me senti em casa, lá em Santa Teresa. Se um dia for morar no Rio, é pra lá que eu vou! Parece uma cidadezinha do interior onde todo mundo se conhece, se fala. Eu confraternizei com todo mundo. No fim da estadia já estava dando bom dia e até reconhecendo pessoas.
Dei uma canja em uma roda de samba lá em Santa. É, pessoal, cantei samba no Rio de Janeiro e quando foi dito que eu era de Campinas ( uma quase verdade) o povo não acreditou . Eu fiquei explicando que Campinas tinha músico muito bom, de tudo que é tipo. Não menti. Mas aquela coisa calorosa, cheia de malandragem só se tem no Rio mesmo.
Eu iria escrever sobre a viagem toda, mas não vai dar.
Não quero escrever sobre as coisas que eu senti porque ainda estão dentro de mim de uma forma estranha.
Voltei mexida.
Voltei com idéias para o cd.
Voltei com um pouco de minha ancestralidade, meu passado. Não sei se já disse aqui, mas eu nasci em Niterói, fui pequena pra Salvador. Meu sotaque é nordestino, minha alma é nordestina, mas o meu sangue ferveu e pela primeira vez eu me senti sendo do estado do Rio, de verdade.
Lá no meu orkut eu coloquei algumas fotos da viagem. Foram quase seiscentas fotos. Passe lá porque eu deixei aberto pro povo ver mesmo.
Foi uma esculhambação total, sem dúvida, valeu cada instante.
Agora me preparo pra ir à Chapada dos Veadeiros ver um festival de cultura popular.
Tudo isso tem uma razão de ser. O cd novo terá essa coisa brasileira, essa coisa cheia de ritmos e eu to fazendo pesquisa de campo.
Acham que eu to brincando? Veja isso aqui. Fui ao Rio trabalhar...
HAHAHAHHAHAHAHAH



Tati sou eu, óbvio, e as Gulosas são elas, minhas companheiras nessa viagem maravilhosa!

5 comentários:

Georgiana disse...

Caraio! Tu vem mesmo para a Chapada! Vou ver se dou um jeito de ir de qualquer jeito nem que seja pegando carona no dedão, amiga! Não perco você por aqui por nadica deste mundo vasto.

Arnaldo disse...

O Rio de Janeiro é um dos lugares par os quis mais viajo e, ironia, dos que eu menos conheço. Tem tanta coisa pra descobrir!

Vivien Morgato : disse...

Aproveite tudo.
Tati e as gulosas foi demais..rs

Vivien Morgato : disse...

Aproveite tudo.
Tati e as gulosas foi demais..rs

figbatera disse...

Que beleza, hein Tatiana?
O Rio é, de fato, o melhor lugar do mundo.