domingo, 24 de maio de 2009

contação de histórias da sexta feira

Este meu final de semana foi dedicado às crianças.
Sextas teve a festinha-acampamento que eu contei histórias.
No quintal da casa as barracas eram a atração. Colchonetes, cobertores, travesseiros, tudo gostoso para a criançada passar a noite lá. Uma fogueira aquecia tudo e dava um clima todo especial.
A turminha toda na minha frente, sentada no chão, eu com meu violão. Comecei a contar as minhas histórias que contam meus encontros com o saci, com a mula sem cabeça, caipora. Tinha um menininho de cinco anos, Rodrigo, que quando sentia medo enfiava o gorro vermelho da cabeça ainda mais fundo e ele parecia um saci. Quanto mais medo sentia, mais gostava. Mas o ponto alto mesmo foi quando comecei a contar uma história que eu ouvi há muito tempo. Eu soube de fonte segura que um menininho tinha se trasnformado em lobisomem. Lobisomem é realmente muito eficiente em noites sem lua, diante de fogueiras para um público de dez anos. Quando eu contei tudinho, do jeito que eu ouvi do velho negro mais preto que a noite e mais velho que o tempo...ah, nessa hora não houve uma única interrupção. Silêncio e atenção total. Eu só via um gorro vermelho muto bem enfiado e metade de olhos imensos me olhando com muita atenção.
Lobisomem é realmente o cara!
Eu me divertindo com aquilo tudo.
Contei história, preparamos juntos uma poção encantada para que todos estivessem protegidos durante aquela noite de acampamento e cada um " encantou" uma pedrinha para que servisse de amuleto.
Agora podíamos comer!
O pequeno Rodrigo me informa que tem uma bateria e me convidou pra fazer um som. Cinco anos e querendo fazer um som!
Tá bom! Vamos fazer.
A troupe toda ajuda a carregar a bateria de brinquedo e ele monta, todo orgulhoso. Me pede que eu veja como ele toca.
Muito bom!
Vamos fazer um som juntos?
Vamos!
E começamos. Ele pedia que eu tocasse a música da mula sem cabeça. Eu tocava. Ele socava aquela bateria com tanta força que o tantam caía, a caixa soltava, o bumbo andava pra frente, os pratos voavam pelo chão. Nada disso o deixava preocupado. Arrumava tudo de novo e socava a mão.
Começamos a nos entender.
Olha o breque!
Ele parava na hora! Tocava olhando pra mim, tentando entender o que eu estava fazendo. No começo era uma porrada só, ele queria era tocar, mas com o tempo entendeu que tínhamos que fazer juntos.
Eu dizia:
-Agora ataca só nos pratos..tá tá tá tá...segura o final nos pratos!
Ele me olhava com aqueles olhinhos de cinco anos e fazia o final mais apoteótico do mundo!
Eu variava os ritmos e ele começou a entender e variava comigo. Teve momentos que ele realmente entrou no ritmo e nós realmente estávamos fazendo um som. Ele me olhava com aquele sorriso que só aparece quando se está fazendo música junto. Ele entendeu como a coisa funciona. Estamos mesmo fazendo um som juntos!!
Um sucesso, a nossa dupla!
As meninas vendo aquele som todo não resistiram. Vieram todas e eu cantava, tocava violão, elas dançando e ele, meu baterista mirim, tocando junto. Cantei cantigas de roda da minha infância, lá da Bahia, coisas que as meninas nunca ouviram. Apresentei o samba de roda da piaba que diz assim:
"Sai, sai, sai, ô piaba, saia da lagoa! Sai sai sai ô piaba, saia da lagoa! Bota a mão na cabeça, outra na cintura, dá um remelexo no corpo, dá uma umbigada na outra!"
Meu baterista, muito animado e atento a tudo, gostou tanto da música que na hora que eu cantava " bota a mão na cabeça" ele esquecia de tocar pra botar a mão na cabeça, com baqueta e tudo, outra na cintura, dava um remelexo no corpo e voltava a tocar na hora de dar uma umbigada na outra.
Devo ter tocado umas trinta vezes a música da piaba. A da mula sem cabeça eu perdi as contas.
Minha amiga Gô que me levou na festa ria tanto que parecia que estava tendo um ataque. Duvido que o filme que ela fez tenha prestado porque ela balançava muito de um lado para o outro. Todos os adultos vieram ver a nossa super hiper mega banda que nasceu de improviso.
Me pediram a Macareña.
Você sabe tocar?
Meu filho, numa hora dessas, com um baterista desse, eu toco qualquer coisa. Manda a macareña!
Eu nunca aprendi essa letra mas pelo jeito é um hit infantil. Todas cantavam e eu só berrava o refrão . ÊEEEEEE macareña!!
Uma garrotinha pequenininha me pergunta se eu sei aquela canção que fala que o coração tá batendo...
Coração tá batendo? Coração tá batendo? Como quem diz não tem jeito?? Claro que sei!! E eu toco! Vamos lá, baterista!
" Coração bobo, coração bola, coração, coração São João, a gente, se ilude dizendo já não há mais coração".
Que maravilha. Bom repertório.
Todas cantavam comigo e ainda faziam a coreografia da escola. Uma cantoria imensa, uma bateção de bateria e um monte de meninas dançando, tudo igualzinho.
Cantei minhas cirandas, meus samba de rodas, mais mula sem cabeça ( um pedido do baterista que ficou comuma certa fixação) e até a mãe da aniversariante rebolou ao som da música da Dona Tartaruga.
Cansei. Foi muita cantoria pra uma noite só.
Olhei pro baixinho baterista e combinei com ele:
-Quando você crescer vamos tocar juntos, tá?
-Tá! - e saiu correndo pra contar pra mãe que ele já tinha um compromisso comigo, assim que crescesse.
Assim fiz um investimento.
Esses pais nem fazem idéia do inferno que a vida deles se tornará com um filho baterista.
Coitados...
Mas eu me diverti muito. Muito mesmo.

Hoje recebi um mensagem aqui no blog que reproduzo para todos:

"Você não tem tamanho do sucesso que fez , principalmente com o baterista saci .Ontem durante a festa na casa dele , ele queria de toda forma que eu te ligasse para que vc fosse lá tocar com ele ...muito obrigada pela paciencia e dedicação que teve com todos ...bjos mil. Gô"

Gô, minha querida, que tem que agradecer sou eu!


5 comentários:

Anônimo disse...

putz , chorei um monte agora ...te adoro TATI...bjos mil e força

Morena disse...

É a força do Eres ...uma benção!

claudia lyra disse...

Gente, me emocionei demais com essa história! Me deu vontade de fazer um festa de mula-sem-cabeça e saci aqui na minha casa. Delícia!

ps - eu acredito em lobisomem.

Tatiana disse...

Não resisti e coloquei os videos!!
Obrigada, Gô

Patricia(Gô) disse...

Te mandarei mais uns videos amanhã.