quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Tudo tem limite

Tudo tem limite e eu achei um excelente para mim.
" Moços da idade de meu filho ou mais novos não podem ser apreciados de forma lasciva".
Ponto.
Exato.
Esse é um bom limite.
Mas é bem difícil de seguir porque quando se distrai, lá vamos nós, eu e um bando de mulher assanhada, botar reparo nos detalhes anatômicos do jovem ( muito jovem) mancebo.
Aí o jovem mancebo passeia por cá, anda por lá, mexendo aqueles brações diviiiinos, carrega meu filtro pesadérrimo, a mulherada na cozinha pára que está fazendo, tudo congelado no tempo e no espaço, só sobra ele, o tenro mancebinho, contraindo aqueles músculos todos, aquelas costas indecentes, aquele par de pernas que são o pecado em formas de pernas. Um suspiro silencioso retumba na minha cozinha e os copos tremem, as panelas batem as suas tampas e todos os olhos cravam indecente luxúria no pescoço do pobre moço.
Parece um franguinho temperado em ervas finas. Um baby beef mal passado. Um tomate cereja tamanho família. Uma panela de brigadeiro. Um pudim de leite. Um kisuco de morango bem gelado. Um picolé de tangerina. Um bolo de chocolate com cobertura, biscoitinhos e confeti. Parece um vitamina de banana com farinha láctea. Um cachorro quente completo com batata palha e maionese. Um self service de sorvete. Um carrinho de doce de restaurante fino. Uma indecência.
Afe, que a gente sofre com o crescimento desacerbado dessa geração. Ficam imensos, peludos, espadaúdos, transbordando toddynho e danoninho. Uma sacanagem isso. Deviam manter a cara de criança, estimular nossos instintos maternais. Mas não! Saem por aí, semi-nus, borbulhando a fresca testosterona, tudo grande, tudo inflado, totalmente desenvolvidos. E nosso instinto maternal...fodeu-se! Acabou-se! Todas viramos Jocastas lânguidas, caladas e pecadoras.
A culpa é dos hormônios que colocam nas carnes. Só pode ser.
Mas para isso é que existem os limites.
Tô cheia de limites. Com limites até aqui, ó.
Limites são necessários.
Aceito os limites.


PS: Nem venham com aquele velho papo que meu filho mais velho tá um pitéu, blá blá blá porque eu sou dada a botar limites nos outros também, tá certo????

4 comentários:

Morena disse...

Sabe que, também passei a apreciar esses, deliciosos, petiscos !!!! rsrsrsrsr

Vivien Morgato : disse...

apoiado, apoiado, viva os limites e todo mundo longe do meu filho..hahahah

Déa Obata disse...

Tudo bem, tudo bem...sem comentários capciosos, mas quando mesmo vai ter um jantar na tua casa?

bjos, saudades.
Em tempo, você escreve tão lindamente quanto canta!!!!

Claudia Lyra disse...

Você sabe que esse texto bem poderia ter sido escrito por mim, não sabe? Hahahahahahaha...
E quando essas coisinhas apetitosas são amigos de nossos filhos?!?!? Deus do céu, nos livre, proteja (e perdoe) desses maus pensamentos!!!!