sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Ai que nervoso

Dia 05 de novembro o Cantança vai se apresentar no Boldrini, hospital que trata de câncer infantil.
Já toquei lá uma vez e quase tive um treco. Não foi fácil, me senti inútil, meu coração de mãe ficou destroçado e assim que eu virei a esquina, depois que o show acabou, eu desmontei. Parei o carro e chorei.
Voltei lá algum tempo depois pra ver a filha de uma amiga perder essa batalha e eu posso dizer que dentro daquele hospital eu percebi o que era tristeza e sofrimento.

Eu não sou de amarelar antes de show algum, aliás, a única coisa que me lembro de ter pagado pau foi no casamento da Taïs. Medrei e pedi pra pular fora. Não deixaram e no fim deu tudo certo.
Mas agora eu tô amarelando e confesso aqui.
Tô com medo de cair no choro, tô com medo que minha emoção me passe a perna, tô com medo de não segurar a minha onda e simplesmente chorar em pleno show. Estou com medo de mim. Tô com medo da empatia com a dor alheia, tô com medo daqueles olhos de crianças que olham dentro da alma da gente, tô com medo do sofrimento que dá pra ser cortado à faca. Tô com medo da consciência absoluta que a realidade é dura e, no caso do hospita,l muitas vezes fatal.

Não que eu não queira ir. Quero! Quero muito, mas estou com medo de ir e não fazer o que eu tenho de melhor por estar completamente envolvida com essas emoções todas.
Minha cabeça viaja enquanto eu me apresento. Eu canto mas eu observo e penso. Tudo muito rápido passando por meu cérebro e por meu coração. Não consigo evitar isso.
Estou com medo dos meus pensamentos, do que eu vou ver, pensar e sentir.

Autorizei os meninos da banda me darem um solavanco caso eu vacile.
Não quero vacilar. Quero fazer bonito.
Mas estou com medo de mim.
Haja reza pra segurar a onda. Haja compreenção das leis do karma. Haja força de espírito.
Haja amor, viu?
Será que eu tenho isso tudo?

5 comentários:

Lucas disse...

dia das bruxas, eem
;*

Georgiana disse...

Tem, sim. Todo mundo tem! Olha, se serve, você pratica yoga, mulher! Olha só, lembra que você levar esse espetáculo para essas pessoinhas vai trazer alento e alegria para a alma delas. Conecte com o que é bom, Tati. Lembra que lá tem dor, mas, tem muita força, muita raça! Já assisti muito Extreme Makeover de crianças bem cientes de suas situações, que foram, de certa forma, grandes lições de vida. Elas não lamentam seu estado. Por que nós devemos? Elas se tornam, às vezes, quem passa as mãos nas cabeças dos pais desorientados!!! Experiência própria. Eu em estado miserável e meu filho me acalentou. Parece que eles sabem a que vieram e que, apesar de toda dor, tudo é passageiro! Tente conversar com eles e perceba que eles emocionam a gente não pela tristeza, mas, pela resiliência, gentileza e força que esquecemos que temos dentro de nós! Lembre-se, Luke, a força está com você!!!

Ricardo Maciel disse...

Tati, você provavelmente não sabe disso, mas eu faço um trabalho de clown na APACC (Associação de Parentes e Amigos das Crianças com Câncer), instituição não ligada ao Boldrini, mas que recebe muita gente que se trata lá e não são de Campinas. É bem difícil mesmo, a gente se apega, ama e, às vezes, ou muitas vezes, perde. Perde pq eles voltam pra outra ou pq vão embora. É difícil, é mesmo, mas não tem nada melhor do que receber o sorriso e o abraço de uma criança, feliz por você ter proporcionado a eles, que tem uma vida difícil, momentos de alegria.

Fiz várias apresentações lá ou mesmo vez por outra passo lá para visitá-los. Depois que eu comecei a ir, descobri que minha mãe estava com câncer (o que é o destino, né?). Foi difícil aceitar, claro, e lidar com isso, mas percebi que eu não era o único e que se as crianças agüentam, eu também agüentaria. Foi bem foda, mas ela agora está bem. Já perdi alguns "pacientes", e esse hora o coração aperta e dói, mas já vi muita gente se curar e voltar pra casa feliz e me mandar milhares de recadinhos no orkut, felizes da vida!

Se você quiser, podemos conversar sobre isso antes do show. Estou aí pra ti!

Beijo!

Anônimo disse...

Vai dar tudo certo!!!
E vai ser uma alegria imensa na vida daquelas crianças todas te assistindo...
Força!!!!
Mércia

Tatiana disse...

é..eu sei...disso tudo eu achoque sei..mas meu coração é mole, mesmo que nãompareça.
Tenhoque criar um calo..calo bom, sabe? calo de música..sei lá...