sábado, 20 de outubro de 2007

Durante a madrugada!


Essa gloriosa cantora aí é a Tais Reganelli. Logo após seu show que eu não consegui ver por estar trabalhando, mas cheguei a tempo de dar um abraço voador nela.
Adoro!
Tais é uma das cantoras mais chiques que eu conheço. Mas ela só é chique cantando. Engana todo mundo porque ela é a "DIVA" cantando. Elegantérrima. Não sua. Não desarruma o cabelo. Unhas impecáveis. Irritante de tão arrumadinha. Já ouvi muita gente dizendo " mas como aquela mulher é metida a besta". Tolos. Completamente tolos.
Tais é uma das pessoas mais engraçadas que eu conheço, fala merda atrás de merda, divertida, non sense ( veja a foto!).
Ela me convidou para fazer uma das coisas que mais me causou nervoso e preocupação.
Eu consagrei seu casamento com o Juliano, em uma festa linda com mais de cento e cinquenta pessoas. Quando ela me convidou para fazer isso, assumir a responsabilidade de fazer a consagração de sua união, era para uma festa pequena, para pouquíssimas pessoas. Aceitei sabendo que causaria uma certa surpresa para esses amigos poucos e íntimos. Topei. Logo depois eles me avisam que não seria assim tão poucas pessoas. Seriam muitas pessoas. Os pais. Os amigos dos pais. A família careta. Gelei. Gelei e quase amarelei.
Pensei em várias maneiras de dizer a eles que eu estava me cagando de medo, de receio que as pessoas não entendessem eu, uma pessoa que é conhecida como cantora, que tem um blog esculhambado, que tem uma boca suja pra caralho, como é que essa velharia do cacete iria receber eu lá, com meu atame na mão, dentro de um círculo sagrado, invocando os elementos sagrados. Fiquei com vergonha e medo de não conseguir fazer que o ritual funcionasse, porque um ritual para funcionar tem que fazer com que todos que estejam nele entrem na mesma vibraçaõ. Caralho, eram cento e cinquenta pessoas!
Eles não me deixaram. É você a pessoa que vai nos casar, Tatiana. Falavam com tanta segurança e amor que eu tive que enfrentar meus cagaços e ir até o fim. O peso da responsabilidade me pesava nos ombros e eu sentia o peso dentro de mim.
Arranjei uma roupa especial porque eu não queria fazer isso com uma roupa que lembrasse madrinha, convidada. Assumi a Sacerdotisa, me vesti dela, entrei nela e fiquei nela o tempo todo.
Foi uma das experiências mais lindas e fortes que eu vivi. As cento e cinquenta pessoas emocionadas, ouvindo as palavras que eu falava e que para muitas eram coisas de outro mundo. Mas mesmo assim, mesmo estranhando, entramos todos em uma única vibração. As madrinhas abençoando o casal com suas ervas e água. Os padrinhos, alguns constrangidos e outros emocionados, purificando com o incenso e como o fogo. Eu sentia em minhas costas um calor, apesar da noite fria e do sereno. Sentia que eu não estava só ali. E sentia o Amor, o Amor estava ali, o amor de Juliano e Tais, o amor das pessoas ali. O amor era tanto que muitas pessoas choravam copiosamente. Eu tive medo de chorar também, mas eu talvez fosse a única que não poderia chorar naquele momento. Eu tinha uma obrigação muito séria e não podia me desviar um segundo da intenção.
Quando tudo acabou e fomos para a festa eu senti cento e cinquenta olhos me cravando as costas. Só por um casal que eu tanto amo eu faria isso. Expor a pessoas desconhecidas uma coisa que eu mostro só na maior intimidade de minha casa. Fui chamada de Padra, de Bruxona. Me perguntaram se eu era Feiticeira. Ouvi de velhinhas católicas que elas sentiram cada vibração do ritual. Senti medo nos olhos de muita gente. Os garçons, por exemplo, não deixam de acatar um único pedido meu! Medo que eu os transformasse em um sapo verruguento!
Então, essa mulher aí de cima, essa cantora talentosa, a companheira de Juliano, um cara ímpar, um casal ímpar, essa mulher aí de cima é minha companheira de música, de café em cozinha, de projetos, é minha irmã de saia nas noites de lua cheia e é a única mulher que eu posso dizer que casei. Nunca em minha vida vou poder esquecer dela porque meu coração deixou um pedaço de terra nos pés desse casal quando eles se uniram diante dos Deuses, do Céu e da Terra. Durante todos os séculos que durar sua união, um pedaço de mim estará lá. Por onde eu for, um fino fio de luz me manterá ligada a ela e a ele também.
Para que os quatro ventos espalhem aos quatro cantos do mundo, minha benção sempre está com vocês.
Meu amor é seu, minha querida e, mesmo que eu corra o mundo, meus olhos estarão procurando os seus e minhas mãos estendidas em sua direção. Feche os olhos e deixe que a terra que me coração deixou em seus pés te guiem até mim.
Não te esquecerei jamais!

6 comentários:

Penachi disse...

...

Eu a vi, num susto, num canal de TV, Século XXI, depois de uma zapeada... nessa noite de sexta...

Adorei.

Agora, adoro vocês duas!

.

Bom domingo pro povo!

.

Anônimo disse...

Lindas, queridíssimas, talentosas e completamente loucas.
Amo vocês.
bj.
Má F.

Vivien Morgato : disse...

ah, eu adorei isso.

Ninita disse...

Tão lindo isto.....mas tão lindo....lindo demais.....
Beijo

Taïs Reganelli disse...

não sou católica, não sou religiosa. sou um ser crente em pessoas, na bondade, no amor... mas acredito em gente sacana também. não sou inocente, embora muitas pessoas o achem... mas acho que tenho uma sensibilidade que talvez a família ou a música tenham me dado. isso fez com que eu me aproximasse de pessoas especiais, como a Tati. A Tati é uma jóia, uma jóia bruta, dessas que não precisam ser lapidadas porque dessa forma perderiam o charme. E eu a amo bocuda, desleixada, linda, enorme, falando merda e rindo das minhas besteiras. Eu nunca tive dúvida quanto à celebração do casamento. Tinha que ser ela. Porque além dela ser tudo o que é, uma pessoa que eu e Juliano amamos, uma cantora competentíssima, compositora nata e passista engraçadíssima, ela é uma líder. E uma líder do bem. E eu nunca teria dúvidas de que ela faria seu melhor e "encheria" nosso amor de energia positiva. E é isso que acontece. Eu sou muito, muito e muito feliz. Obrigada, Tatiana, por ter sido essa pessoa tão importante no dia mais feliz da minha vida. Eu te amo. E muito.
PS: se eu não casasse com o Ju, casava com você, hahahahaha!

Tatiana disse...

HAHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHA

Essa é a Tais...