sexta-feira, 28 de setembro de 2007

darth vader


Interessante esta história...

" Darth Vader é um personagem do universo de ficção científica de Star Wars. Considerado o maior vilão da história do cinema, participa da trilogia original da série (Episódio IV: Uma Nova Esperança, Episódio V: O Império Contra-Ataca e Episódio VI: O Retorno de Jedi), bem como do Episódio III: A Vingança dos Sith.
Neste último, Anakin Skywalker, tendo sonhos terríveis em que via a esposa Padmé Amidala a morrer durante o parto, esperando salvá-la junta-se ao Lado Negro da Força, após matar o Mestre Jedi Mace Windu, por tentar matar o Chanceler (Anakin é iludido, achando que conseguiria salvar sua esposa), tornando-se aprendiz de Darth Sidious. Sidious, que se escondia na figura do Chanceler Palpatine, que disse a frase mais constrangedora do filme para os fãs de Anakin Skywalker: "Daqui em diante, você será conhecido como Darth... Vader". Vader, ao ser seduzido pelo Lado Negro da Força, esquece completamente o objetivo de salvar sua esposa e passa a se preocupar apenas consigo mesmo."

Isso me faz pensar que sempre estamos sendo tentados a ir para o lado negro da nossa própria natureza. Uma batalha constante e inevitável.
Que escolha fazer?
Onde está a Luz realmente?
Onde a ilusão cobre nossos olhos?
E a gente não vê a verdade porque a verdade é feita de milhares de minúsculos pedacinhos de realidade parcial.
Mas as escolhas têm que ser feitas, de qualquer jeito. Então, diante do inevitável confronto entre as escolhas, temos que saber aquilo que norteia a nossa própria vida porque a escuridão é uma constante e o farol só ilumina pelos instantes que gira em nossa direção. Logo depois, se volta para o mar e somente ilumina as águas onde não há porto algum, somente as águas cheias de sereias, de histórias e de mistérios dos marujos. E as ondas que eternamente tem a obrigação de ir e vir.
O farol não ilumina aquilo que não há. Para ser iluminado e vir à tona o brilho guardado, é necessário existir algo. Porque se não houver, o farol pode iluminar um porto abandonado. Pode ilumina um terreno baldio, uma praia de areia estéril, um nada que não tem valia nenhuma, a não ser gastar o potencial iluminador de um farol que nunca pára de girar nas noites escuras.

Olho pra dentro de mim e vasculho o que tenho de prata e ouro, procuro aquilo que vai ajudar a iluminar os céus, que reflita além de mim, além de minha voz e de minhas mãos aquilo que me ajuda e escolher entre a minha sombra e a minha luz.
Não quero mariposas me cobrindo o brilho.
Não quero um banco velho de madeira imenso e firme onde só eu sentarei e, abraçada aos meus joelhos, chorarei sozinha olhando um mar cinzento e um farol que gira.
Não quero a espada jedi daquele que um dia foi luz e hoje é sombra.
Não quero a ambigüidade das verdades.
E quero que o farol quando pouse sobre mim, ilumine um porto colorido, cheio de fitas e bandeiras de vários países onde uma fogueira queime madeiras perfumosas e uma mesa farta alimente uma multidão feliz. Na mesa, a bondade doce, a generosidade em jarros, a integridade, a honra e a verdade, em fartura para todos.
É isso que eu quero que o farol ilumine em meu porto.
E que meus olhos nunca se cansem de buscar isso.

7 comentários:

Marina F. disse...

Tati, que o "dark side of the force" esteja sempre longe e que você continue iluminando a todos com esta força magnífica (é isso que você faz sempre, minha amiga).
Obrigada pela luz.
beijo.

Anônimo disse...

CUIDADO COM ESSA DECISAO. PENSE BEM.VOCE ESTA EM DUVIDA? SE ESTA, ESPERE TER CERTEZA.

Tatiana disse...

êlaia...

princesa amidala disse...

olha, eu acho q vc está coberta de razão.se tem coisa te incomodando, saca logo o lightsaber e corta o mal pela raiz( pela cabeça, pelo saco, como queira)
eu já vi esse filme, querida...

Tatiana disse...

A MODERÇÃO FOI ATIVADA ATÉ PARAR OS COMENTÁRIOS DAS MALUCAS DE SEMPRE
NÃO TO COM SACO PARA RESPONDER MALUCA.

Tatiana disse...

Conversei com um psiquiatra amigo e ele me aconselhou a ignorar os comportamtentos psicóticos.
Mesmo porque o que maluco fala não se deve levar em consideração.
E com a moderação de comentários, nem preciso ler...vejo que é de doido e apago logo.

Danny Reis disse...

Deixa eles pra lá, Tatiana. Não vale a pena bater palma pra maluco dançar! :)