sexta-feira, 2 de março de 2007

Cigarra em mundinho de formiga

Apertar o cinto para fazer a cinturinha de pilão.
Dobrar as asas, escondendo que sei voar.
Meter duas anteninhas de plástico na cabeça que balançam estupidamente.
É difícil se disfarçar daquilo que não somos,
Ou é isso ou um longo e tenebroso inverno me aguarda.
O pior é entrar no formigueiro e ver um monte de formiga, desafinada e desprovida de talento, passando frio e fome, reclamando da vida, exatamente como eu, cigarra disfarçada.
Alguma coisa está errada na minha história.

10 comentários:

Adriana disse...

Tati, nao creio que esteja nada errado na sua historia....e que na verdade sempre somos um pouquinho cigarra e formiga nessa vida....
As vezes e dificil entender...mas e assim.

Força Guerreira!!!

Beijinhos carinhosos do outro lado do oceano

Clélia Riquino disse...

É difícil se disfarçar daquilo que não somos (...)

Mas você é cigarra & formiga, Tati, como disse a Adriana. Não precisa usar nenhum disfarce! É legal ser várias...

Cigarra
Milton Nascimento &Ronaldo Bastos


Porque você pediu
Uma canção para cantar
Como a cigarra
Arrebenta de tanta luz
E enche de som o ar

Porque a formiga
É a melhor amiga da cigarra
Raízes da mesma fábula
Que ela arranha, tece
E espalha no ar

Porque ainda é inverno
Em nosso coração
Essa canção é para cantar
Como a cigarra acende o verão
E ilumina o ar

Zi, zi, zi, zi...

bjão,
Clé

Anônimo disse...

Oi Tatiana, mandei-te uma coisa bem animada para o mpb, diz-me se recebeste, caso contrário tento outra via. carmo

Klein disse...

Não te conheço, cheguei aqui por acaso. Mas acho que você pode estar falando de emprego e desemprego... se não for, saiba que pra mim foi assim que bateu. ("Bateu", parece até que eu to falando de drogas)

Saltimbancos S.A disse...

Minha querida, sei exatamente como vc sente. É FODAAAAA!
Se servir de consolo, mas não serve, lembre-se que todos os seus irmãos e irmãs cigarras vivem o mesmo dilema,neste país de merda.
Estamos no lugar errado. A classe média cada mais chulé quer BB7 e a elite rampeira quer ser ver na Caras.
Como dizia o Jabor: - Um dia eu pensei que o Brasil fosse virar Ipanema, mas ipanema é que virou o Brasil.

Samambaia disse...

Quanto mais a gente olha pra dentro, mais coisas erradas encontramos.

As vezes são os nossos disfarces, porque não somos o que realmente somos?

Felicidades!

Ronaldo Faria disse...

Na terceira semana seguida de formiga, sem uma folga sequer, não há muito a dizer.
Cuidemo-nos. Beijos.
Ronaldo Faria

Zéfiro Desencanado disse...

Dei o toque do teu blog para toda a turma do "Só Aborrecimento (quando não é uma coisa é outra), um blog coletivo do qual faço parte. Não me encontrarás com esse nome. Tenho mais heterônimos que Fernando Pessoa, embora alguns despeitadeos achem q ele escrevia melhor q eu.
Logo seu blog estará entre os recomendados.
Ah, mais uma coisa tenho um coração calejado mas se vc me chamar de monamú de novo vou para Campinas de aliança, mala e cuia.
Isso é uma ameaça.

Claudia Lyra disse...

Ah, Tatiana, se cigarra é o que há! Afinal, a cigarra sabe muito bem fazer esse servicinho chato de formiga, né não? Mas vê lá se alguma formiga sabe fazer o que a cigarra faz!

Lélis disse...

Tati,
A Nina nasceu. Eu descobri o amor verdadeiro. Ela veio num eclipse, às 16h03 e mudou a minha vida. Interessante como uma figura de 3.060 kg, 47 cm, faz isso com a gente. Eu também reparei o pôr-do-sol no domingo e marquei um encontro com ele. Depois da Nina estou sentindo uma vontade louca de não perder nenhum. saudades doces docê,