quarta-feira, 14 de dezembro de 2005

Tristeza de separação.

Eu até achava que saberia administrar melhor este momento.
Vou ficar sozinha sem você. Uma grande perda para mim, com certeza.
Pensei que era uma mulher auto-suficiente, que não precisava de ninguém, que cuidava de mim e de tudo meu sem problema. Mentira. Preciso de você. Quero você. Mas não vai dar.
Sentirei tanto a tua falta, mas tanto, que nem gosto de pensar.
Pelo menos uma vez por mês quero que venha aqui em casa. Fazer um faxinão daqueles, sabe? Daqueles que só você sabe fazer. Quero te ver, vassoura na mão, a rainha do Omo Multiação, a princesa do ODD!
Minha querida, minha diarista tão necessária. A mistura perfeita entre um sargento alemão e a mãe preta emburrada. Oh, minha Tia Anastácia do meu sítio. Minha Abengarda do meu campo de concentração. Meu café com leite amargo, meu chucrute com dendê, minha Ava Garden com Xica da Silva!
Você sabe que vai embora por completa necessidade. Se eu pudesse você continuaria comigo.
Nunca pensei que diria isso para uma mulher, mas eu to sofrendo com o fim da nossa relação. Tô mesmo.
Merda de vida, viu!?

12 comentários:

gika disse...

Tati, te entendo muito bem.Tô protelando esse momento aqui em casa, mas acho que não vai ter jeito. Pior que eu preciso ela e ela de mim.Tem dias que me dá uma revolta sabia?
Merda de vida mesmo...

Pedro disse...

Declaração mais linda...

É uma relação delicada, mas quando funciona, funciona MESMO...

Acho que eu li uma reportagem sobre isso uma vez...

Um abraço!

Tatiana disse...

meu coração tá partido.
acabou-se mãos macias e tempo livre. Virarei um brucutu, uma amélia do lar, uma histérica, uma exausta! serei um nada, um nabo, um rabo torto...
ai que saudade

ariadne disse...

Que porcaria hein, Tati...boa sorte. Tenho certeza que logo logo , o vento muda e ela VOLTA!!!

Pedro disse...

Já que você pediu...

Tá, você não pediu, mas eu me senti na obrigação de fazer!

Aumentei (nada que possa se dizer "Puxa vida! Que aumento!", mas aumentei) a letra do blog, e mudei a fonte pra uma mais legível.

Afinal, é a única leitora do meu blog, né?

E eu também consegui importar os arquivos antigos do antigo blog, então, quem sabe você não se diverte lendo as minhas besteiras...

Um abração.

PS.: Agora só falta a música, mas eu tÔ tratando de providenciar isso!

Guto disse...

Fala Tati!!!!!!

To escrevendo pra dizer que adorei sua entrevista com o Bruno Ribeiro, ficou realmente muito boa!
Vc ve o que é fã hein!
To na França, mas sempre estou lendo seu blog (a festa na sua casa deve ter sido um estouro), e ainda acho um tempo para econtrar um link com uma entrevista sua!
Coisa de louco!

Esses dias coloquei no meu blog uma letra que escrevi aqui na França, mas depois de pronta deixei um comentario que fala sobre vc e a outra melhor banda de Campinas, (não tenho nem de falar o nome né?)!!!!

Bjão
E que vc ganhe cada vez mais espaço, pois vc merece!

Guto disse...

voilà

http://www.cosmo.com.br/frame.asp?page=http://www.cumbuca.com.br/uploadfiles/blog/default.asp

Esse pequeno amontoado de letras e simbolos deve carregar vc até sua entrevista!
O link estava na pag inicial do portal Cosmo On Line, no espaço Cumbuca, que é a coluna mantida pelo Bruno!

Bjão

Dani disse...

Momentos assim são muito tristes, especialmente quando eu imagino o estado deplorável das minhas unhas e mãos. A vida é mesmo injusta. Abraço.

Lili Cheveux de Feu disse...

Ei! Cadê o comentário que eu deixei aqui ontem???

coisarara disse...

o bicho comeu???

Ronaldo Faria disse...

Empregada é como tango: triste quando chega, forte quando volteia de vassoura na mão e trágica quando se vai.
Que Gardel baixe por aí com a plasticidade de El Dia Que Me Quieras e te traga novas fadas do lar que não é delas. São os meus mais sinceros votos.
Ronaldo Faria

Dora W disse...

ah, eu sempre digo isso pras mulheres da minha vida.."to sofrendo com o fim da nossa relacao"..

viu, sempre tem uma primeira vez!