sexta-feira, 4 de novembro de 2005

O HOLISMO E AS MINHAS DORES

Holismo:
do Gr. hólos, todo

s. m., Filos., doutrina que defende que o todo não é a mera soma das partes e que tem propriedades que faltam aos elementos individuais que o constituem (sobretudo, em relação ao ser vivo).


Analizando meu corpo como um todo, concluo que to ficando véia e acabada.
A caminhada para chegar na bendita cachoeira me fodeu as panturrilhas. Ando como uma mulher recém-parida, as perdas arqueadas, manco levemente, o desnível do passo forma uma sutil concurda que me dá uma imagem grotesca e meu balanço de quadril lembra um ataque epilético junto com um derrame. Tá foda!

Se minhas panturrilhas tem relação com alguma coisa mais profunda dentro de mim, como o holismo sugere, fico aqui a pensar: o que as panturrilhas representam no complexo universo do meu corpo.
As panturrilhas ( a famosa batata da perna) ficam entre os pés ( que me levam) e minhas coxas (que sustentam meu corpo e dão apoio à minha bunda quando preciso sentar). Então, se minha batata da perna tá doendo isso quer dizer que eu nao quero ir à lugar nenhum e que a minha preguiça está tomando conta de meu corpo, como um todo, logo, como não posso andar, devo sentar , melhor ainda se pudesse deitar, e descansar meu corpo no peso das costas ou somente da bunda. Assim, entendo que a panturrilha seria o meio caminho entre agir e não agir. Andar e sentar. Fazer e não fazer. Se ela dói, ela representa uma dúvida, um impasse, um dilema. Estou sofrendo de forças antagõnicas dentro de mim que me causa mais sofrimento. Quando eu sofro, eu não produzo, logo, não é inteligente eu sair capengando para lugar algum, espalhando dúvida e sofrimento.
Tudo claro quando se entende o funcionamento sutil do corpo.
Então, se eu não for trabalhar hoje e ficar aqui estarei respeitando minha panturrilha e afastando a minha preguiça, que nada mais é do que dor da pantorrilha simbolizando a necessidade de descanso, eu estarei trabalhando as sutilezas de minha alma e justificando a inércia de meu corpo.Estarei neutralizando a guerra do meu inconsciente, estarei economizando anos de terapia, estarei sendo mais útil para a sociedade.
Resumindo: se fico sem fazer nada , to fazendo um monte de coisas importantíssimas para a minha psiquê e meu equilíbrio energético, mental, espiritual, emocional e físico, sendo assim, mais ativa e produtiva.

Isso mesmo!
Vou madar um e-mail pro escritório explicando desse jeitinho,tenho certeza que eles vão entender a situação!
.

5 comentários:

.:Leninha:. disse...

Acho que desse jeitinho, vão entender a situação de sua pantorrilha!!!

hauahahauahauah!!!!

Tatiana Rocha disse...

Tatiana, o ócio criativo não se restringiu a literatura de Domenico de Masi, nem começou positivamente a partir dela. Na Grecia antiga já se praticava o ócio em prol do desenvolvimento do pensamento, da luz da sabedoria, do encontro com o ser antropo, q hj, os americanos chamam de "self". Vc esta no caminho certo, mas nao esqueça de que seu corpo interage c sua mente o tempo todo. Escreve p e-mail tatidomiciano@hotmail.com p a gente trabalhar o corpo e a mente na compra do seu CD.

Neumar disse...

Tatiana,
vc mandou bem, menina!!! E é mais corajosa que eu, não tive a coragem de contar que qdo saí hoje, só andei quatro quadras e voltei correndo pra casa, por causa do calor infernal (30º), e pq sentia meus pés incharem dentro dos tênis... Muito menos que qdo subia pelo elevador, de volta ao meu apê, olhei no espelho e me senti velho...
Legal, legal, legal!!! Adorei o texto, e também acho que serão bastante compreensivos contigo no trabalho!!! Afinal, manter-se equilibrado e bem consigo mesmo, é fundamental para que sejamos produtivos. Kkkkkkkkk!!!
Beijos,
Neumar F.

CLICK disse...

tsc ..tsc! que falta de preparo físico hem dona Tati Quebra Sandália.
Vamos malhar. Olha, vamos unir os blogueiros dia 05, arecadar fundos pra comprar uma esteira e uma bicicleta, que tal ???Ah e o mais importante : Um tubo 500g de Cataflan !

Renata disse...

Faz o seguinte, taca um SALONPAS que tudo passa! ...