sábado, 15 de dezembro de 2007

Como foi

Quando chegamos, estava tudo fervendo. Na carreta, os técnicos de som e de luz montavam os equipamentos.Pareciam formiguinhas incansáveis. Alguns atores testando os microfones sem fio, gente limpando cena, figurinista e cenografista dando os últimos retoques antes do espetáculo.
Agora era a nossa vez! Instrumentos no palco, tudo afinado...vambora! É como se fosse, mas ainda não era de verdade.
O céu parecia que ia firmar, mas o vento era frio, entrava pela roupa, balançava os panos do cenário e fazia meus papéis voarem.
" Se vira...vambora!"
Detestei o ensaio geral. O monitor estava uma merda, algumas marcações perdida, a bateria do baixo deu pau, os cabos também dando pau, um ataque de saci geral, o roteiro do percussa voando ao vento...
A diretora me chama ao lado e muito delicadamente diz..."resolva".
Bato boca com o Ugo.
Chamo os dois percussa e tento tirar do útero a delicadeza que eu não tenho.
Entro pro galpão, meto um pedacinho de bolo seco na boca.
Sete e vinte. O espetáulo está marcado para as oito.
meu telefone toca e quando eu ouço " Tati.." sei que alguma coisa terrível aconteceu.
Matheus se machucou. Caiu uma janela, ele foi impedir que caísse sobre o João ( filho de minha amiga-vizinha de sete aninhos), o vidro faz um corte profundo e cortou o tendão. Está na Mário Gatti.
Eu já estava pilhada, nervosa. Na minha frente a diretora e a assistente. Eu choro olhando para elas. Eu sento no chão e só falo " caralho..caralho...caralho..."
Saio correndo para pedir que Ugo me leve ao hospital. Quando me vê chorando e entende a situação, desce da carreta, corre de um lado para o outro, não tem mais briga, nem confusão por causa de nada e em segundos estamos voando pro hospital.
Na minha cabeça só ficava " cortou o tendão..cortou o tendão..cortou o tendão...". É dia de estréia, não posso deixar a equipe toda na mão... estréia..tendão...meu filho...se controle...calma...tendão...cirurgia...calma...atrasa um pouco, segura as pontas que eu já volto...ligar pro pai que é médico..o que eu devo me preocupar...ok...eu fico te ligando e aviso em que pé estão as coisas...tendão..estréia...meu filho...meu filho...

Entro no hospital e vejo meu filho com a mão na tala e os médicos me dizem que o ferimento foi limpo e suturado, mas é necessário uma cirurgia para juntar o tendão cortado. Não houve comprometimento dos movimentos dos dedos. Tenho vontade de beijar o bigode manchado do médico.
Meu filho me olha triste e diz " Desculpe, mãe. Não queria atrapalhar a tua estréia".
Não choro por um triz e me abraço a ele.
Na hora da bezetacil, que a enfermeira energúmena resolveu avisar pro Matheus - um covarde assumido em matéria de agulha - que doía muito, foi um show à parte.
Filho, como você quer? No amor? No jeitinho? Na delicadeza?
Não. Ele não conseguiu assim.
Eu seguro o tronco, três seguram as pernas e uma aplica a injeção.
Só ouço meu filho murmurando, como um mantra..." detesto injeção...detesto injeção".
Oito horas e eu saio do hospital. Meu filho volta para casa da minha amiga-vizinha e eu volto pro local da apresentação.
Entramos correndo, colocamos o figurino.
Eu penso " esquece o Matheus, ele tá bem, medicado. Agora é aqui. Fica aqui". A frase O SHOW NÃO PODE PARAR martela em minha cabeça.
Meu corpo todo dói de tensão e adrenalina.
A noite já estava escura e aquele frio me fazia tremer e eu pensava se era de frio, de nervoso, de susto...
Na concentração ouço dizerem " Dediquem este espetáculo para alguém. É a forma de fazermos a nossa troca. Escolham uma pessoa e ofereçam o espetáculo"
O espetáculo começa.
Matheus, isso aqui é para você. Hoje, este espetáculo é seu. E neste instante, esqueci tudo que não fosse a apresentação.
As coisas acontecem lindamente.
As gargalhadas das crianças fazem meus olhos ficarem úmidos.
Os olhos das pessoas brilham.
O vento faz com que meus cabelos voem em volta da minha cabeça e eu penso que os deuses do teatro estão ali do meu lado.
Na hora que os fogos são acesos, o vento traz as fagulhas para cima de nós, banda. Não senti medo. O brilho dos fogos de artifício, a noite, as pessoas dançando de mãos dadas uma ciranda, eu em pé, em cima do palco sobre a carreta, as fagulhas em minha volta e eu pensando " Sou filha de Iansã. Nem o vento nem o fogo me faz mal, porque eu sou filha de Iansã!!"
A Iansão que mora em mim vibra. A Iemanjá pede que eu corra logo para casa.
Acaba o espetáculo.
Lindo, lindo e lindo!
Vejo o elenco se abraçar, mas não posso fazer isso. Tenho que desmontar nossas coisas para ir embora rápido. Não me lembro de ter falado nada de bom para a banda. Me esqueci disso.
Meu corpo todo dói. Uma moleza dolorida. Um marasmo.
Uma vontade de chorar profundamente.
Quero chorar, Ugo.
Chorar pra que?
Pra relaxar.
Deixe de viadagem.
Só choro realmente quando coloco meu filho na cama fico esperando ele pegar no sono enquanto faço um cafuné em sua cabeça.

Me senti a mais solitária das mulheres. Sem um parente por perto. Sem o pai do meu filho por perto. Sem uma mãe, pra me ajudar.
Falo isso e ouço que é verdade, mas eu tenho amigos.
É...eu tenho os amigos que me ajudam nessa hora.
Nessa e em todas outras.
Agora é marcar a cirurgia de um dos filhos porque o menisco do mais velho já está marcada para o dia 17. Dois filhos. Duas cirurgias ortopédicas. Oito apresentações de teatro em cidades diferentes. Uma casa que continua sujando e pedindo atenção.
Agora me preparo para levar meu pequeno ao hospital do convênio médico e agendar a cirurgia.
Logo depois entro no carro para ir para Conchal.
E assim a vida vai seguir porque o show não pode parar.

Só quem é mãe sabe o que é isso.
Só quem é mãe sabe.

19 comentários:

Danny Reis disse...

Nossa, Tati, quanta coisa acontecendo ao mesmo tempo!
Tô torcendo daqui (é a única coisa que eu posso fazer), esperando que você tire de letra. Sei que vai tirar e vai dar tudo certo.
Ufa, a estréia então deu certo! Sim, os deuses do teatro (e da música, não esqueça deles!) ajudaram e ajudarão sempre quem os respeita!
Um beijão!

Danny de novo disse...

E é claro que seus filhos ficarão bem também.

Tatiana disse...

ô, Danny
No fim deu certo, mas sabe aquela sensação que você levou uma surra de vara de marmelo?
Pois é...tô assim

Claudia Lyra disse...

Putz, Tatiana... parece que, quando a gente mais precisa ser profissional, o lado mãe é solicitadíssimo!!! Pra que isso, hein? Pra nos soterrar de culpa? Graças a Deus ficou tudo bem. E seu fofo vai tirar de letra a cirurgia! Beijos!

Tatiana disse...

Exato, Cláudia
Era a mãe com o coração apertado deixando que a profissional assumisse.
Mas, puta merda, isso não é fácil não!
Vai dar tudo certo.
Vai costurar tudo, remendar tudo, alinhavar, chuleiar e bordar.
Daqui a pouco me aprontará outra!

Anônimo disse...

Tatiana, cheguei por essas bandas pelo blog do Bruno Ribeiro, leio sempre mas, nunca comentei. bem hoje não aguentei, tbem tenho dois filhos, trabalho, faço faculdade( p/ quem sabe melhorar no trampo) e quando nos preaparamos para viajar de férias meu pequeno está com pneumonia, um baita susto, parece que alguem me acertou com uma bigorna... mas as coisas melhoram e com pequenos é tudo muito rápido, melhoraspara o Mateus e muita merda nas apresentações!

Anônimo disse...

esqueci, abração, Cristiane
(leitora de Curitiba) quem sabe vc não se apresenta ainda por aqui?!

Tatiana disse...

Cristiane...
Como eu disse..só quem é mãe que sabe ....
e eu adoraria tocar em Curitiba!
Nunca fui aí!
Obrigada pela força e seja sempre muito bem vinda aqui!

Anônimo disse...

O que é isto mulher?, Bota coisa acontecendo ao mesmo tempo!!!

Tenha sempre este teu lago guerreira e a hora é esta, mesmo, cuide do seu filho, filhos, na verdade.
Já passei por isto mas no caso eu é que estava longe e podia fazer muito pouco, quase nada. Sorte que a mãe sabia da gravidade e o tendão foi logo suturado pois se isto não fosse feito meu filho perderia, por completo, o movimento dos dedos da mão, sorte que a dele era esquerda e que a cirurgia foi feita uma semana depois. Parece que depois disto começa um processo de fibrose e ai.... nem cirurgia resolve e o que estava aparentemente bom fica condenado pela vida toda.
Corra com seu pequeno, vai valer a pena, no final. Sorte que está em Campinas, bons profissionais.

Força!
Morini

shirlei horta disse...

Brincou????

Eu sou mãe também, disso eu entendo.

Mas você foi gloriosa, já parou para pensar nisso? Deu tudo certo dando tudo errado!

Meu filho já operou o joelho, é uma cirurgia feita por computador, só faz dois buraquinhos dos lados do joelho, muito tranquilo, mas a recuperação é com muletas... afe!

Ah, mas já deu certo, bola pro mato que o jogo é de campeonato!

Anônimo disse...

Oi Tatiana, voltei por um motivo "bobo" mas como sou neto de índios levo isto a sério. Sabe que "te" leio diáriamente e você contou nestes dias por ai que um filho entrou saltitando(se assim me lembro) e bateu a cabeça ou derrubou algo na cabeça...ñão consigo lembrar se machucou.
É o mesmo??
Minha avó diria "as forças maiores que nos rondam nos dá alguns avisos, só não vê quem não que!"
Não conseguiria voltar ler sem te escrever isto.
Imagino que você seja e esteja sempre atenta com tudo.

Que tudo esteja melhor agora.
Morini

Tatiana disse...

Morini,
Fibrose é a preocupação agora.
Amanhã marco a cirurgia...

Tatiana disse...

Shirley,
Eu estava completatmente dividida. No fim deu certo, mas foi um susto do caramba!
Eu que não sou de chorar em momentos desses, dei umas boas de umas fungadas...
Mas a frase que não sabia de minha cabeça;;;O show não pode parar...
Cacete, filho de artista se ferra também, né?
Tadinho

Tatiana disse...

Morini..
Tô ligadíssima nestas coisas.
Cresci ouvindo que plantas, bichos e crianças pegam as rebarbas. Eu, que não sou besta, não deixo buraco na armadura, mas as coisas reverberam, batem e mudam de direção.
Tô ligada nisso, muito ligada....
MAs esse filho meu também é uma especialista em se quebrar, se cortar, se bater...um dom, nunca vi...
quer dizer, vi sim.eu era assim tb...

Anônimo disse...

Ótimo, rs...

Vai ficar tudo como manda o figurino!!!
Fale pro filhão manerar nesta época heheh.

Morini

azul disse...

Olá tatiane, eu vi a história do seu filho que machucou e cortou o tendão e que fez a cirugia,é o que ta acontecendo comigo agora, dia 9 de dezembro eu tive um acidente que cortei o pulso mais foi na junta da mão com anti-braço com que quebrou e entrou um caco de vidro e que rompeu o tendão e o nervo de dois dedos da mão e que agora tenho que fazer cirugia pra fazer ligamento de nervo e tendão e isso fez agora 2 meses de 9 de fevereiro, minha mão atrofiou por que eu fiquei 1 mes com a mão mobilizada, tive ue fazer fisioterapia pra pode fazer a cirugia, agora que eu vou marca pra fazer a cirugia, o q eu queria saber como foi a cirugia do seu filho? confeço que estou um pouco com medo por quenunca passei por coisa assim, te agradeceria muito se vc mim esplica se.
E parabém por essa mulher que vc foi na hora daquela.

Tatiana disse...

Azul ( elda)
A cirurgia do meu filho foi um sucesso. Primeiro porque foi eito até quinze dias depois do acidente , o que garante uma recuperaçaõ muito boa. Segundo por que ele é criança e criança se recupera muito, muito rápido.
Ele não ficou com sequela nenhuma, tá de boa.
Primeira coisa: se acalme. É uma cirurgia simples e não tem grandes complicações. E mais, é comum precisar de fisioterapia após um negócio desse. Meu outro filho operou o joelho e está com seis centímetros de diferença entre as pernas. Tem emsmo que fazer fisioterapia.
Uma coisa que eu posso te dizer e que é muito legal nessas situações e tomar antes e depois da cirurgia tintura de arnica, para ajudar na recuperação, diminuir os inchaços e reduzir os hematomas ( que vc não vai ter por causa do tipo de cirurgia). E se estiver muito, muito, muito mesmo nervosa, tome um floral. que tal rescue, star of bethelehem e mimulus, quatro gotas, quatro vezes por dia?
Tome e me diga como você ficou com o floral.
E confie.
Tudo vai dar certo.

Elda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elda disse...

Oi Tatiane, obrigada por vc mim tranquilizar, que remedio é esse? não conheço sem ser o de arnica, amanhã eu irei no médico e acho q agora sim, acho q agora ele marca a cirugia, a e é claro que tomarei sim o remedio antes e depois da cirugia pra fica boa logo. obrigada pela sua atenção
bjus e fica com Deus.