quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

2007

O fim do ano se aproxima e com ele aquela reavaliação de praxe. O que fiz? O que deixei de fazer? O que aprendi?
O ano de 2007 foi um ano bom, sem dúvida. Toquei muito, mostrei minhas músicas, viajei tanto que eu acho que estou com rodagem de motorista da Cometa. Lancei um cd infantil e um dvd. Fiz shows em todos os lugares importantes da Campinas. Dividi palco com gente que eu admiro. Em matéria de trabalho, foi um ano de sucesso.
O ano de 2007 me trouxe amigos antigos e novos amigos. Parceiros novos. Tanta gente!
Este ano eu fiz 40 anos. E, puta merda, foi um dos melhores anos de minha vida. Sambei de me acabar, perdi peso de tanto sambar, ri muito, cantei muito, dancei muito, sonhei muito.
Este ano ganhei um grande companheiro, que era músico, virou amigo, virou parceiro e hoje partilha comigo das miudezas até as coisas mais abstratas e subjetivas.
Minha querida Cirandeira...nossos laços apertados outra vez. Que bom isso!
Este ano eu aprendi que sozinhos não somos nada.
Este ano aprendi que devagar se vai ao longe.
Confirmei que não se controla a loucura do outro. E, às vezes, nem a nossa mesmo.
Foi um ano em que minha espada de Iansã estava na minha cintura e a levantei muitas vezes em grito de guerra. Um ano de demanda, sem dúvida, mas as filhas de Iansã são forjadas a fogo e metal, a vento e trovoada. Não se amedrontam com qualquer coisa.
Minha Iemanjá praticamente se recolheu e espera dias melhores. Tadinha dela.
Meus filhos virando gente grande e eu olhando essas pessoas que eu pari vivendo no mundo onde cada vez mais eu tenho menos poder. Estão se libertando de mim, crescendo. Isso dói mas é inevitável.
Os velhos amigos de tantos anos que continuam aqui comigo. Os novos trazendo o cheiro verde da novidade.
Gente que partiu e gente que chegou.
Amei intensamente. Fui amada. Esqueci e fui esquecida. Cai e levantei. Derrubei e fui derrubada.
Dormi solitária e dormi dentro do mais caloroso abraço. Falei " eu te amo" e ouvi" eu te amo". Mandei a merda e fui a merda. Sofri como o cão e fiz sofrer. Parti e voltei. Vi partir e vi voltar.
Escrevi como louca. Escrevi textos imensos que nunca foram publicados e seus olhos órfãos choravam junto comigo. Fiz lindas canções de amor. " Ardi em febre como uma cortesã". Tatuei meu corpo com meus segredos e mandingas. Abri a porta de minha casa e deixei que o futuro se fizesse presente. Sonhei. Chorei cântaros. Gargalhei tanto que pensei que fosse ter um treco. Tomei banho de chuva, de cachoeira, de mar, de ervas, de cheiro. Juntei saias e mais saias em meu quintal e fomos uma só. Abri as portas dos sentidos e as janelas das delícias. Dei minha mão a quem pediu.
Me senti muito só, rodeada da mais barulhenta multidão.
Corri riscos. Fiz! Concluí. Abandonei o que estava morto. Vi o novo morrer e o velho renascer.
Fui abençoada com a mais simples generosidade.
Recebi tanto de tantos que nem consigo descrever.
Abri mão da tristeza em favor da esperança.
Mantive a minha palavra. Nunca mais é nunca mais.
Voltei e pedi perdão.
Experimentei.
Saboreei.
Senti.
Vivi pra cacete!
É..esse ano foi um ano bom, sem dúvida.

9 comentários:

P. Polivalente disse...

suas palavras me fazem ter vontade de ser feliz. é isso. passo sempre por aqui. bjs

Túlio disse...

E nesse ano, você me conheceu.

(modeeeeesto...)

Marina F. disse...

Que lindo, querida.
Muito orgulho de fazer parte desta poesia toda.
Beijos pra ti, bom ano novo.
Estamos aí.
bjs da amiga que te ama e te admira pacarái.
Má F.

Zéfiro, zunindo disse...

Garota, seu tesão pela vida, sua arte, se espalham virtualmente pelo mundo através das palavras deste blog gostoso como um perfume levado pelo vento.
Você é a poesia de Galvão, personificada:
“Eu sou, eu sou,
Eu sou amor
Da cabeça aos pés”.

Tatiana disse...

Polivalente
Que bom que o que eu falo te faz feliz. Isso me dá mais vontade de viver, de escrever e de continuar. Obrigada. Volte sim quantas vezes quiser.

Tatiana disse...

Túlio,
Verdade!
E você chegou cheio de energia, chegou chegando mesmo. Espero que continue por aqui!!!

Tatiana disse...

Marina,
Você sempre foi e ainda é um exemplo pra mim!
Muito me orgulha ser sua amiga. Muito!

Tatiana disse...

Zéfiro,
Você é a surpresa deste blog.
Chegou chutando o pau da barraca, até me assutou. Pensei: lá vem mais um tarado da net!
E, de mansinho, foi se mostrando um cara expremamente sensível, com um humor imenso, uma mente ágil e um espírito liberto.
Você é uma figuraça!

Vivien Morgato : disse...

esse é um post-tatiana.;0)